Notícias

O DIEESE divulgou, em 08/06, os dados de maio da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos (PNCBA).
No período, o valor do conjunto dos alimentos básicos diminuiu em 14 das 17 capitais pesquisadas. 
O preço do tomate contribuiu para queda no custo da cesta na maioria das cidades pesquisadas, embora a inflação ainda continue corroendo o poder de ganho dos trabalhadores e trabalhadoras.


Confira as cestas mais caras no país:
- São Paulo (R$ 777,93)
- Florianópolis (R$ 772,07)
- Porto Alegre (R$ 768,76)

As cestas mais baratas:
- Aracaju (R$ 548,38)
- João Pessoa (R$ 567,67)
- Salvador (R$ 578,88)
Obs.: Nas cidades do Norte e Nordeste, a composição da cesta é diferente das demais capitais.

Com base na cesta mais cara, que, em maio, foi a de São Paulo, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família dele com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência, o DIEESE estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário.

Assim, de acordo com as estimativas do departamento o salário mínimo necessário para uma família de até 4 integrantes é de R$ 6.535,40, o valor é 5,39 vezes o mínimo atual de: R$ 1.212,00.

Confira o material completo: https://www.dieese.org.br/analisecestabasica/2022/202205cestabasica.pdf

 

Secretaria de Comunicação - Sintratel-SP

0
0
0
s2smodern

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar